Notícias

29/01/2019

Paralisação da UHE Retiro Baixo não afetará a operação do sistema elétrico nacional, diz ONS



Usina será utilizada para frear a onda de sedimentos causa pela queda da barragem em Brumadinho.

O rompimento da barragem em Brumadinho, Minas Gerais, impactará a geração da hidrelétrica Retiro Baixo, localizada a 200 km do incidente, porém não trará maiores consequências para a operação do sistema elétrico nacional, informou o diretor geral do ONS, Luiz Eduardo Barata, em entrevista nesta segunda-feira, 28 de janeiro.

Na tarde da última sexta-feira, 25 de janeiro, por volta da hora do almoço, o rompimento da barragem do complexo de exploração mineral do Feijão, da Vale, liberou toneladas de sedimentos e lama, matando dezenas de pessoas, animais, vegetações, além de desalojar centenas de famílias. Estima-se que mais de 300 pessoas estão desaparecidas. Autoridades governamentais nos níveis federal, estadual e municipal estão trabalhando para resgatar as vítimas da tragédia.

A Agência Nacional de Águas (ANA) já havia informado na sexta-feira que o reservatório da UHE Retiro Baixo seria utilizado para amortecer os rejeitos de minério. A medida visa evitar que a lama chegue ao reservatório da hidrelétrica Três Marias. Segundo Barata, a interrupção da geração em Brumadinho não causará maiores problemas para o sistema elétrico porque a usina tem uma contribuição muito baixa e estava gerando apenas 30 MW na sexta-feira.

A usina tem 82 MW de capacidade instalada e está localizada entre os municípios de Curvelo e Pompéu (MG), no baixo curso do Rio Paraopeba, afluente do rio São Francisco, onde se encontra a UHE Três Marias. Retiro Baixo tem garantia física de 38,5 MW e é explorada por Furnas, subsidiária da Eletrobras, e Cemig. Em 2015, quando tragédia semelhante aconteceu em Mariana, com o rompimento da barragem da Samarco, a hidrelétrica Candonga segurou 80% dos rejeitos de mineração que foram carreados pelo Rio Doce.

“A UHE Retiro Baixo tem uma contribuição muito pequena para o sistema. Não deverá perturbar em nada a operação elétrica e energética do sistema”, garantiu Barata. Na sexta-feira, 25, a usina teve sua operação paralisada. No sábado, a hidrelétrica voltou a gerar energia, mas deverá ter a geração interrompida novamente na parte da tarde desta segunda-feira, 28.

Fonte: Canal Energia